Carrinho 0

Garganta de freira – Doce conventual da Covilhã

Doce conventual típico da Covilhã em forma de canudo, feito com massa de hóstia e recheado com fios de ovos.
Embalagens de 6 unidades

12,00

A Garganta de Freira é hoje considerado um doce regional da Covilhã, cujo nome nos remete para a doçaria conventual.
A venda deste doce teve origem na antiga confeitaria “A Lisbonense”, fundada num recanto do Largo do Pelourinho em 1912 por Francisco Muñoz Gomes (Paco), um espanhol, que tendo vindo de Lisboa para aí foi viver.
Foi nesta reputada confeitaria covilhanense que o pasteleiro Joaquim Duarte de Oliveira divulgou toda a excelência da sua doçaria, que tão apreciada era na cidade.
Quando faleceu o ”espanhol”, como era conhecido o Paco, a propriedade da confeitaria passou para Artur Campos, dono do Montalto e de outras unidades hoteleiras. Ao balcão esteve sempre o Sr. José Correia que, em 1969, passou a fazer parte da nova sociedade juntamente com o pasteleiro já referido.
Entretanto, hoje a Pastelaria “A Lisbonense” encontra-se encerrada, e são raros os pasteleiros que produzem as afamadas “gargantas de freira” que é um doce em forma de canudo, feito com massa de hóstia e recheado com fios de ovos.

Alergénios: ovo

Ingredientes

1 chávena de fios de ovos; 1 folha de hóstia (obreia); 100 ml de água; 200 g de açúcar

Produtor

João Figueiredo
Covilhã

Condições de conservação

Em lugar fresco.

Seja o primeiro a apreciar “Garganta de freira – Doce conventual da Covilhã”